ResMed

Saiba mais sobre
ronco e apneia

  • O que causa o ronco?

    O ronco ocorre pela vibração de estruturas da faringe e costuma ser mais frequente durantea fase do sono em que ocorrem os sonhos (sono REM), porque há um relaxamento máximo dos músculos faríngeos. Dormir com a barriga para cima também favorece o ronco porque há tendência de queda da língua e base da língua contra a parte posterior da faringe. As causas principais de ronco são: aumento de gordurana região do pescoço; sobrepeso e obesidade; aumento significativo das amígdalas; obstrução nasal importante (rinite alérgica, desvio de septo, etc.); consumo de álcool e cigarro; usode sedativos; hipotireoidismo; e alteraçõesda estrutura óssea do rosto.

  • O que é Apneia Obstrutiva do Sono (OSA)?

    A OSA é uma condição na qual uma pessoa parade respirar repetidamente ao longo da noite. A respiração é interrompida porque o tecido da garganta ou "via aérea" relaxa e impede queo ar chegue aos pulmões. Os padrões de sonosão interrompidos, resultando no excessode sono ou fadiga durante o dia.

  • Quais as possíveis consequências de uma Apneia Obstrutiva do Sono (OSA) não-tratada?

    Aumento do risco para:

    • Pressão sanguínea alta
    • Doença cardíaca e ataque cardíaco
    • Derrame
    • Acidentes com veículos motorizados e de trabalho relacionados à fadiga
    • Redução na qualidade de vida
  • O que você deve fazer se suspeitar que pode sofrer de Apneia Obstrutiva do Sono?

    Recomenda-se a avaliação de um médico especializado em distúrbios do sono. Realize um estudo do sono. Um estudo do sono pode fornecer ao médico informações sobre como você dorme e respira. Essas informações ajudarão o médico a determinar seu diagnóstico e as opções de tratamento.

  • Como desconfiar da presença da apneia do sono?

    Alguns sinais e sintomas denunciam a presençada apneia do sono: sonolência durante o dia; episódios de sono não intencionais (durante uma conversa, reunião, ao dirigir, etc.); acordar cansado apesar de ter dormido a noite toda; fadiga; insônia; acordar com pausas respiratórias ou engasgos;e principalmente relato do cônjuge de ronco alto e/ou pausas respiratórias. Porém o diagnóstico definitivo só pode ser feito após o exame de Polissonografia de noite inteira.

  • Quais os riscos da apneia do sono?

    A apneia do sono caracteriza-se por interrupções repetidas na respiração durante o sono devido a um fechamento transitório da garganta, o que diminui o oxigênio no sangue e gera vários despertares rápidos e inconscientes. Essas alterações geram uma reação de estresse no corpo com aumento da pressão arterial durante o sono, mesmo em pacientes que não sejam hipertensos quando acordados. Como consequência, o paciente pode se tornar hipertenso, iniciar arritmias cardíacas e tem risco aumentado para infarto. O corpo sob estresse também apresentao metabolismo alterado, o que atrapalha a perda de peso, favorece a manutenção da obesidade e compromete o controle do diabetes. Além disso, a sonolência diurna, perda de concentração e de atenção comprometem o trabalho e aumentamo risco de acidentes de trânsito.

  • Qual o tipo de ronco que devemos nos preocupar?

    Devemos nos preocupar com um ronco muito alto, frequente todas as noites e que apresenta interrupções da respiração.

  • Só ronca quem é obeso?

    Não, a obesidade atua como agravante no ronco. O ronco pode diminuir se emagrecer.

  • As crianças roncam?

    É muito importante verificar porque esta criança esta roncando. A criança precisa ser avaliada por um pediatra, um otorrino e também por um dentista especializado em ortodontia e ou ortopedia funcional dos maxilares. Precisamos estar atentos ao crescimento desta criança, em suas amigdalas, presença ou não de adenoides, respiração bucal, alergias e etc.

  • Os sintomas de Apneia do Sono em crianças são iguais aos do adultos?

    Não, em crianças observamos com frequência a irritabilidade e agitação no lugar da sonolência e também queda no desempenho escolar.

O que causa o ronco?

O ronco ocorre pela vibração de estruturas da faringe e costuma ser mais frequente durantea fase do sono em que ocorrem os sonhos (sono REM), porque há um relaxamento máximo dos músculos faríngeos. Dormir com a barriga para cima também favorece o ronco porque há tendência de queda da língua e base da língua contra a parte posterior da faringe. As causas principais de ronco são: aumento de gordurana região do pescoço; sobrepeso e obesidade; aumento significativo das amígdalas; obstrução nasal importante (rinite alérgica, desvio de septo, etc.); consumo de álcool e cigarro; usode sedativos; hipotireoidismo; e alteraçõesda estrutura óssea do rosto.

O que é Apneia Obstrutiva do Sono (OSA)?

A OSA é uma condição na qual uma pessoa parade respirar repetidamente ao longo da noite. A respiração é interrompida porque o tecido da garganta ou "via aérea" relaxa e impede queo ar chegue aos pulmões. Os padrões de sonosão interrompidos, resultando no excessode sono ou fadiga durante o dia.

Quais as possíveis consequências de uma Apneia Obstrutiva do Sono (OSA) não-tratada?

Aumento do risco para:

  • Pressão sanguínea alta
  • Doença cardíaca e ataque cardíaco
  • Derrame
  • Acidentes com veículos motorizados e de trabalho relacionados à fadiga
  • Redução na qualidade de vida

O que você deve fazer se suspeitar que pode sofrer de Apneia Obstrutiva do Sono?

Recomenda-se a avaliação de um médico especializado em distúrbios do sono. Realize um estudo do sono. Um estudo do sono pode fornecer ao médico informações sobre como você dorme e respira. Essas informações ajudarão o médico a determinar seu diagnóstico e as opções de tratamento.

Como desconfiar da presença da apneia do sono?

Alguns sinais e sintomas denunciam a presençada apneia do sono: sonolência durante o dia; episódios de sono não intencionais (durante uma conversa, reunião, ao dirigir, etc.); acordar cansado apesar de ter dormido a noite toda; fadiga; insônia; acordar com pausas respiratórias ou engasgos;e principalmente relato do cônjuge de ronco alto e/ou pausas respiratórias. Porém o diagnóstico definitivo só pode ser feito após o exame de Polissonografia de noite inteira.

Quais os riscos da apneia do sono?

A apneia do sono caracteriza-se por interrupções repetidas na respiração durante o sono devido a um fechamento transitório da garganta, o que diminui o oxigênio no sangue e gera vários despertares rápidos e inconscientes. Essas alterações geram uma reação de estresse no corpo com aumento da pressão arterial durante o sono, mesmo em pacientes que não sejam hipertensos quando acordados. Como consequência, o paciente pode se tornar hipertenso, iniciar arritmias cardíacas e tem risco aumentado para infarto. O corpo sob estresse também apresentao metabolismo alterado, o que atrapalha a perda de peso, favorece a manutenção da obesidade e compromete o controle do diabetes. Além disso, a sonolência diurna, perda de concentração e de atenção comprometem o trabalho e aumentamo risco de acidentes de trânsito.

Qual o tipo de ronco que devemos nos preocupar?

Devemos nos preocupar com um ronco muito alto, frequente todas as noites e que apresenta interrupções da respiração.

Só ronca quem é obeso?

Não, a obesidade atua como agravante no ronco.O ronco pode diminuir se emagrecer.

As crianças roncam?

É muito importante verificar porque esta criança esta roncando. A criança precisa ser avaliada por um pediatra, um otorrino e também por um dentista especializado em ortodontia e ou ortopedia funcional dos maxilares. Precisamos estar atentos ao crescimento desta criança, em suas amigdalas, presença ou não de adenoides, respiração bucal, alergias e etc.

Os sintomas de Apneia do Sono em crianças são iguais aos do adultos?

Não, em crianças observamos com frequência a irritabilidade e agitação no lugar da sonolência e também queda no desempenho escolar.

Icone Sol

Sintomas Diurnos

  • Dor de cabeça matinal
  • Cansaço
  • Baixa Concentração
  • Depressão / irritabilidade
  • Sonolência
Icone Lua

Sintomas Noturnos

  • Ronco
  • Pausa na respiração
  • Asfixia durante o sono
  • Sono agitado
  • Idas frenquentes ao banheiro
Icone Risco

Fatores de Risco (incidência em)

  • 80% Obesos
  • 75% dos hipertensos
  • 60% dos diabéticos
  • 50% das mulheres na menopausa
  • 50% dos que consomem álcool em excesso